¡Nao matarás! (e por enquanto, vou mudar a minha lingua)

Quinto Mandamento: (Textos Sagrados).

“… Não matarás” (Ex. 20,13). Este mandamento atesta que a vida humana é sagrada e desde seu início ela supõe a ação criadora de Deus e mantém-se para sempre numa relação especial com o Criador, seu único fim. A ninguém é lícito destruir diretamente um ser humano inocente, pois é um ato gravemente contrário à dignidade da pessoa e à santidade do Criador. O direito inalienável à vida de cada ser humano, desde a sua concepção, é um elemento constitutivo da sociedade civil e da sua legislação. Quando o Estado não coloca a sua força ao serviço dos direitos de todos, e em particular dos mais fracos, e entre eles dos concebidos ainda não nascidos, passam a ser minados os próprios fundamentos do Estado de direito…”

I.- Resumo:

Sempre tem existido na historia da humanidade, criminais. É mesmo parte da nossa construçao como seres vivos e sem consituir-nos na semelhança do Deus. É normal entre criminais, matar e morrer no âmbito do crime. Por ele, tudo vale e em nome do crime, tudo cobra uma vida ou também, cobra cotidianidade.

Por isso, desde tempos imemoráveis, o homem tem criado leis, tais como a Lei do Moisés ou também o Código de Amurabi e assim por diante. Mas nem tudo acaba aquí. Se estes sao os códigos, entao está  convenido que sao entre, e só para homens e nao para animais.

Se isto é verdade, vejamos quantos homens se assesinaram em Mome de Deus na conquista espanhola en América. Segundo as fontes que circulam em internet, se calcula que, entre o 30 e o 90% da populaçao originária da américa do Sul, foi exterminada (dos 10 milhoes aos três milhoes finais). Isto foi parte das tarefas de conquista dos europeos em geral e, se sabe também que, a populaçao originária, estava nestas terras há 16.000 anos.

Uns mais que os outros, acabaram com a vida dos inocentes e agora, nao sendo seres humanos, estao começando a gostar de acabar coma vida daqueles que nao podem se defender de jeito nehum: Os animais!

II.- A linguagem dos “bárbaros”: vou mudar para uma coisa mais saudável!

Se está escrito que “Nao Matarás!”, por que se continua com ese “fim” de matar em nome de qualquer ser ou pessoa que diz que tem direitos suportados pela lei?

Por exemplo, hoje assistimos a um espetáculo horrível, quando publicaram esa fotinho do lobo  que foi alcançado pelos fusis da “Guardia de Asturias”, Coroa de Espanha e logo apois disso, mostrado como o trofeo num carro pela cidade e numa exhibiçao pública. É isso alguma coisa parecida ao Humanismo do Século XXI?

Gostariamos de dizer que, a partir de hoje, 17/10/2018, vamos redigir textos em Portugués e nao vamos mais nos comunicar por escrito em Espanhol, lingua de criminais e de assessinos de animais, sendo istos na areia (com espadas e lanças), ou na mata e com fusis.

Adeus, meu querido Cervantes e o seu Espanhol… vamos falar sim! mais nao vamos te pretigiar nos nossos escritos!

III.- De novo se impoe um pouco de razao:

Temos criado uma área das ciências denominada Biológica. Esta nova disciplina, se ocupa de este seguintes campos de acao: vejamos uma figura, por favor:

Como é bem visível, se comforma da Biología, da Lógica, o Desenvolvimento Sustentável e o Humanismo, mas: Do que estamos falando si matamos animais indefesos na mata espanhola ou na savana africana?

A humanidade, tem esquecido que, pela Ordem Divina, e natural é proprietária da missericordia e da paz interior e pensamentos integradores Homem- Natureza- Divinades?

Estamos desorientados! Estamos sismados e nao entendemos ao homem do século XXI! Achamos que estamos presenciando uma mudança, mesmo como nois mudamos de lingua e eles, mudaram do cérebro!

O que vai acontecer quando acabemos com os lobos do planeta? Nada? Estao errados! Vai acontecer que a humanidade que ainda tem o caráter de “saúde mental”, vai reclamar justiça e vao procurá-los para fazer, “A Justiça Animal”, Um Ato de Reconstituiçao de Direitos.

IV.- Humanismo: aquilo que se perdeu quando a guerra tornou-se um negócio!

Na antigüidade, também existiram guerras, mas eram tribais, nao tao orgánicas e nao tinham o caráter de destruçao “massiva” como nestes últimos séculos.

No presente, assistimos uma revoluçao da Arte de Matar e entao, ante a perda total do Humanismo, se mata homens e animais em nome dos esportes, en nome de um día de folga ou, em nome de um excesso de cerveja que atacou ao  meu cerebro na noite anterior.

Se Deus considerasse tudo isto por um segundo e quisesse parar a roda, Ele podería mudar tudo, até mudar a nossa lingua ou também, me deixar sem nehuma.

Como uma só conclussao, pedimos ao Grande Senhor dos Ceus, nas nossas oracoes “O Altíssimo”, que nao abandone as suas criaturas do mato, os pobres filhos e filhas que Ele tem nas savanas e que pronto se recupere a cordura dos seres vivos (antes humanos) para governar, regulamentar e viver, dentro de um marco de biología e humanismo, atingido pela mínima quantidade de lógica, do conservacionismo necessário para que assim, ninguém morra nas maos de um assessino ou, como outras tantas especies, desapareçam da terra.

Obrigado e Boa tarde!

Juan Mangione

Diretor

17 / 10 / 2018, 16:50´

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *